Amilcar de Castro

Estudos e obras

Image-empty-state.png

Curadoria

Rodrigo de Castro

Período

18 out 2013 > 2 fev 2014

Local

IAC | Muba
Doutor Álvaro Alvim, 76, São Paulo

Apoio

Ministério da Cultura, Itaú, Instituto de Arte Contemporânea, Instituto Amilcar de Castro

Artistas na exposição

Amilcar de Castro

A mostra Amílcar de Castro: Estudos e Obras apresentada nos espaços expositivos do Instituto de Arte Contemporânea e do Museu Belas Artes de São Paulo é uma das ações parceiras entre ambas as instituições e evidencia parte importante do constante trabalho de pesquisa e ampliação do conhecimento sobre a produção dos artistas contemporâneos preservada no acervo do IAC.


Em particular, ‘Amílcar de Castro: Estudos e Obras’ nos dá a feliz oportunidade de incluir um terceiro e fundamental parceiro do IAC: o Instituto Amílcar de Castro de onde veio parte das obras expostas, filmes e o curador da mostra.


Rodrigo de Castro, ele próprio artista plástico, nos apresentou esculturas, pinturas e desenhos que revelam de maneira contundente a preocupação de Amílcar com potentes relações propiciadas pela presença da obra no espaço. Além disso, entre outros aspectos fundamentais, expôs de maneira inédita, parte da produção do artista realizada no período em que viveu em Nova York, na qual explora as possibilidades do aço inox.


———


“Acreditar sempre... e até o fim” [A.C.]


Frase curta. Palavras poucas. Um gesto largo no ar, como que empurrando esse fim para um depois, mais e muito além. E assim foi o fazer e o realizar do artista. Acreditando sempre em si, nas certezas de ser, como também naquelas de não ser, o caminho da sua arte. Acreditando sempre no fazer para realizar, mesmo que os contrários sejam muitos, os valores, desvalores e a angústia a espreitar as inseguranças da vida.


Acreditando sempre e até o fim realizou uma obra fora do tempo. Hoje ou em qualquer tempo, Amilcar de Castro sempre irá surpreender e preencher nosso olhar, nossa alma, com o inusitado, o novo, a arte pura de um mestre que, com sabedoria, empurrou o fim para um depois, mais e muito além do tempo.


Possível apenas quando a vida e a arte, mutuamente atraídas, realizam o incomum, o raro e impensável. (Extraído do texto do catálogo de Rodrigo de Castro) 


Escultura
é a descoberta da forma
do silêncio
onde a luz guarda a sombra
e comove

(Amilcar de Castro)




Image-empty-state.png
 
...